Anna Lou Olivier Nacional

Publicando hoje, a notícia de amanhã

Desde 1997 no ar - Since 1997 in the air - Desde 1997 en el aire - Depuis 1997, dans l'air.



Anjo Loiro


Nas duas vezes em que disponibilizei este texto na Internet, uma grande polêmica se instalou. Houve até um certo frenesi, algumas pessoas declararam que viram meu anjo e outras afirmavam que ele havia até feito milagres. Em meio a muitos comentários, uma leitora agradeceu por eu ter "dividido" meu anjo com o público. Foi um choque ler isso, pois eu escrevi para desabafar e também contar nossa linda história, mas não estava disposta a dividi-lo com ninguém. Foi quando eu resolvi retirar do ar e fazer um e-book, assim eu ao menos teria controle de quantas pessoas o leriam. Se você quer ler o texto todo, clique aqui. Se preferir, pode ler abaixo, as poesias que eu fiz para ele logo após saber da morte dele e segui poetando em outros momentos recordando-o...



 Um grande e sensual amor em meio a metas divergentes... 
A dor da perda torna-se insuportável quando acompanhada de culpa. Quando o mundo todo conhecer esta história talvez minha dor se amenize...

Leia a seguir e nas colunas laterais, as diversas poesias que criei para o Jach. Você pode também ler o romance autobiográfico "O Anjo loiro", 






Acerto de Contas 
Vieste me buscar
Com a delicadeza
Que tanto admirei em ti...

Vieste me amar
Com a beleza 
De um amor sem fim...

Vieste me provar
A grande riqueza


De uma jura de amor...



Vieste me castrar
Pois só minha pureza
Cessará esta dor...

Vieste para me atrair
Novamente a esta cidade
E pisar de novo o palco...



Vieste me punir
Com a dor da saudade
E o remorso do nosso pacto...

Vieste me seduzir
E, por tua vaidade,
Amar-me após tua morte...



Vieste me abduzir
Por tua habilidade
Em fazer-me a corte...

© Lou de Olivier 26/11/01

Sonhando... 
Dorme, dorme, anjo meu
Que, num momento, se perdeu
Mas te carrego nos meus braços
Por todos os tempos e espaços
És parte de minha vida

e, em mim,tenho tua essência
O que, para todos, foi partida
Instalando tua ausência
Para mim é só começo
De uma nova e maravilhosa vida
E te amar pela eternidade
É tudo o que tenho de verdade

Destruindo um pesadelo
Transformando-o com todo zelo
Na mais linda realidade...
By Lou de Olivier - 07/11/2001

Alto preço... 
Tudo tem seu preço
Sinto-me pelo avesso
Porque te saí cara demais... 
Te causei vendavais
Eu era só uma menina
E, sem querer, assinei tua sina
De agonizar até a morte
Naquela maldita esquina...
By Lou de Olivier 20/11/2001
 

Vem amor... 
V ou subir pelas paredes do espaço
E buscar teu sexo no asfalto
M e prostrar aos teus pés

tirar-me em teus braços
ais que aos pedaços
O lhar-te por dentro
R asgando-me em ti...

Vem... Amor...

By Lou de Olivier 08/11/2001 

Paixão...


Passeias dentro de mim
Como se pudesses ressurgir
Amando-me, arrepiando-me 
Sinto-me prestes a explodir

Como explicar esta loucura
Como buscar a cura
Como cessar esta tortura
Só posso, humildemente, te pedir...
Me procura... Volta pra mim?
By Lou de Olivier -08/01/2011

TUA SEMPRE TUA 

Vem meu amor... 
Quero sentir tua dor
No peito dividido, amor amigo
Invade meu infinito e traz contigo
O perdão que eu tanto preciso...

Vem meu doce menino

Arrepiando meu corpo, meu instinto
Mostra que o tempo e a distancia

Nos uniram mais e mais

Pela eternidade, sem nenhuma vaidade

Neste amor sedento e infinito
E eterno nesta louca chama
Vem depressa, vem aflito
Coroa-me, enfim, na tua cama
E arrasta-me por toda a cidade...

Tua, sempre tua...

Lou de Olivier 04/11/2010 




"Três tiros... É demais para dilacerar um só coração!
Um desses tiros, tenho certeza, foi para mim"...
                                          By Lou de Olivier 2001

Amor de Anjo... 

Quando um anjo ama
Sem poder amar
Acende uma chama
Desarruma uma cama
E nem sabe aonde irá parar

Quando uma união vira simbiose
e, para todos, é neurose

Só um par que se torna único ser

Nem se entende o poder
Do que unir ou separar

Quando me perco em palavras
É quando mais te sinto em mim
e, se me calo, parece o fim
Mas é só o começo

Do nosso recomeço....

E fico a repensar
O dilema de subir ao altar
Anjos que se casam não voam
Anjos que voam, não podem se casar...

By Lou de Olivier 11/12/2010 



Remorso... 


Esta dor que rasga meu peito
Não tem mais jeito
Todo ano, nesta data, tem que doer...


E rola meu pranto
Quebra o encanto

Do que não fiz por você...


Carrego em mim tua vida
Tão grande é esta ferida
Nada mais pode deter...


Na minha imaturidade
Deixei-te sozinho na cidade

Vivi sem te merecer...


Perdoa minha cegueira
Meu amor sem eira nem beira
Na loucura me fiz perder...


Sangrando neste poema meu

Nada te dei e você me pertenceu 
Viverei sempre a sofrer...


Lembrando o pacto concretizado
E para poder ser por mim amado

Você teve que morrer...

By Lou de Olivier (sem data)


Leia o romance autobiográfico "O Anjo Loiro" na íntegra, clicando aqui



This is a button